3 vezes que Os Simpsons falaram sobre Feminismo

Por que quando uma mulher é confiante e poderosa, a chamam de bruxa? Os Simpsons já falavam sobre o Feminismo muito antes do tema se to...

Por que quando uma mulher é confiante e poderosa, a chamam de bruxa?
Os Simpsons já falavam sobre o Feminismo muito antes do tema se tornar popular. Em 1994 no episódio “Lisa vs. Malibu Stacy” da quinta temporada do seriado, que já tem mais de 30 anos, Lisa Simpson se irritou com as falas machistas de sua boneca recém-adquirida.

O episódio aborda de maneira bem leve e descontraída os papéis de gênero, que são construções sociais e não verdades universais ou naturais, afinal, ninguém nasce sabendo ”o que coisa é de menino” e ”o que coisa é de menina” ou qual o “papel do homem” e o “papel da mulher” na sociedade, nós aprendemos.

Na narrativa do episódio Lisa quer muito ganhar a boneca falante, que é a sensação do momento, chamada Malibu Stacy – uma versão da Barbie. Porém a personagem acaba se decepcionando com as falas da boneca, que são machistas e rebaixam as mulheres, como “não me pergunte, sou apenas uma garota” ou “vamos fazer biscoitos para os meninos” e “vamos comprar maquiagens, assim os garotos irão gostar de nós”. Revoltada, Lisa vai atrás da criadora da boneca para propor uma parceria entre elas. Juntas criam outra boneca falante, que reproduz frases como “confie em si mesma e conseguirá tudo o que deseja”, mas como em Os Simpsons nada tem final feliz, a boneca é um fracasso de vendas.

Stacy: Vamos comprar maquiagens, assim os garotos gostarão de nós.
Mesmo com o final infeliz, pensar que um assunto tão delicado foi tratado de forma leve e descontraída em um episódio de uma série de desenho é impressionante, ainda mais pelo ano em que foi exibido. E esse não é o único episódio no qual o Feminismo é abordado, em 1991 no episódio “Nós somos jovens, jovens”, onde é contada a história de como Marge e Homer se conheceram, Marge aparece em uma das cenas fazendo discurso feminista no pátio da escola e no final queimando o sutiã, sugerindo uma alusão ao movimento feminista da década de 60.

Neste episódio Marge é vista como uma mulher engajada com o movimento feminista e inteligente, porém mesmo com todo o seu discurso sobre igualdade de direitos, acaba se tornando uma esposa dedicada e mãe boazinha que cuida de casa. Essa cultura patriarcal se sobrepondo aos ideais feministas pode ser vista no episódio como uma alusão e crítica ao “caminho ou descaminho” que o movimento feminista tomou.

O primeiro passo para nos livrarmos dessas amarras impostas pelos homens!
O fato de a cultura patriarcal nos ensinar que “lugar de mulher é na cozinha”, também é abordado em outro episódio do seriado chamado “Vocações Diferentes”, onde um teste de aptidão revela a Lisa que sua futura carreira será de “dona de casa”. Isso acaba com todos os sonhos e esperanças da garota, mesmo Marge tentando mostrar que há grande importância em ser dona de casa. Nesse episódio podemos ver a personagem como um reflexo de sua mãe, que em sua juventude era exatamente como ela e no futuro acabou se tornando uma dona de casa.

Com esses três exemplos já dá pra perceber que o Feminismo, não só é importante, como vem ganhando muita força através dos anos. A Lisa representa de forma indireta no seriado, nós mulheres que lutamos pela igualdade de gênero tomando decisões baseadas no que acreditamos e não no que irão pensar de nós. (mesmo que isso ás vezes nos faça ter alguns conflitos internos)

Se quiser assistir aos episódios que citei no texto vou deixar os links logo abaixo.



Por Yasmim Aguiar

Conheça também esses posts!

0 comentários

Instagram