The Newsroom: Uma série que vai deixar saudades

Olá leitores do LazCult Estou triste, por descobrir que a HBO não renovou o seriado The Newsroom, para nova temporada, fazendo qu...

Olá leitores do LazCult

Estou triste, por descobrir que a HBO não renovou o seriado The Newsroom, para nova temporada, fazendo que a 3° Temporada seja o fim da série. A série trouxe uma abordagem bem elaborada sobre o mercado de jornalismo e o papel de jornalistas. Contarei um pouco mais do seriado para vocês a temporada final começa entre Setembro e Outubro e já está deixando saudades enormes em seus fãs.


A série foi criada por Aaron Sorkin, mesmo criador de 'West Wing: Nos Bastidores do Poder' e do filme A Rede Social que venceu o Oscar de melhor roteiro. O diferencial de The Newsroom era justamente fazer a série baseado em notícias reais como: Eleições dos USA, movimento Tea Party, Movimento Occupy Wall Street e a Política externa americana, isso tornou o seriado mais sério e construtivo para discutirmos o papel do jornalismo.
A visão da série para Sorkin era um confronto de ideias para o Jornalismo Tradicional e sua adaptação com tantos blogs, sites e mídias independes, na maneira de passar e investigar a informação, o motivo é simples, Sorkin acredita que o Jornalismo tem poder para mudar o mundo e conseguir da mesma maneira entreter e manter a audiência dos telespectadores. Mesmo ele citando que não queria mudar o mundo e dar uma lição... Será que realmente ele não queria... (risos) ele realmente conseguiu mudar o pensamento e trazer esse debate para as salas de aula, cotidiano e para emissoras tradicionais como CNN, ABC, FOX NEWS e entre outras consagradas do público americano.
A trama tem um grande diferencial entre as visões de seus personagens, a figura de Will Mccavoy (Jeff Daniels) o âncora do Jornal, mostra características que o jornalismo cada vez mais tenta se desconectar nos dias atuais, Will é assumidamente membro do Partido Republicano, porém, ele vai muitas vezes contra a posição de seu partido em ataques contra o Governo de Obama (as ações representadas, são aquelas feitas realmente pelo governo dos USA e as opiniões são as verdadeiras do Partido Republicano), ele acredita que o jornalismo precisa voltar a Era de Ouro, era na quais notícias eram opinativas de uma maneira séria e inteligente, e o único propósito era somente informar. A outra figura marcante da série é a repórter vivida pela produtora Mackenzie Mchale (Emily Mortimer), ela é aquela jornalista que quer ir até o último fato da notícia, dissecar de maneira séria e sólida, somente para dar uma opinião honesta e baseada apenas na informação real, a parte marcante da série é quando Mackenzie volta para trabalhar com Will (ambos tiveram um relacionamento no passado), ela muda Will que até então estava fazendo um jornalismo morno... Água com açúcar... Para evitar polêmicas devido a um pedido expresso da direção do Canal, ela como produtora conseguiu mudar isso e trazer novamente os números altos de ibope que Will tinha no passado. E por fim, mas não menos importante o personagem Charlie Skinner (Sam Waterston)- Presidente jornalismo da emissora, ele não gosta de ver sua emissora passando notícias mornas e sem graça, ele juntamente com Will e Mackenzie, reestruturam o programa e departamento de Jornalismo, criando algo que no começo era questionável por muitos, porém, depois revelou ser um sucesso.


A série realmente fez um grande sucesso, mas por motivos que não sabemos a HBO não renovou - dizem que era devido aos compromissos do Aaron Sorkin.

MINHA VISÃO SOBRE A SÉRIE


O seriado entrou em minha vida antes de estrear, na época amigos jornalista indicaram-me o seriado, já que tinha forte conotação com política e trabalho que desenvolvíamos em conjunto na época, portanto, gostar desta série foi fácil. E hoje já me sinto triste por ter que despedir tão repentinamente dela.

Aprendi muito com o seriado, cada vez mais acho que o Jornalismo realmente precisa entender o mundo que estamos entrando, a popularização da internet trouxe fácil acesso para conteúdos, faz com que informações fiquem acessíveis para muitos e rapidamente espalhem-se... Mas, até onde vai à checagem de tal informação? Vejo muitas informações sendo transmitidas de qualquer maneira, sem checar, avaliar e sem opinar... A informação está sendo transmitida somente por transmitir e isso é algo que não deveria ser o jornalismo. E um dos ensinamentos da série é este, se for para dar a notícia de qualquer jeito ou maneira, não coloque no ar, já que o povo consegue saber realmente tudo que se passa e quando eles assistem, param para ler ou buscam alguma mídia eles querem uma visão para discutir e tirar ali suas conclusões. 

Na série Will Mccavoy, diz que a Missão dele não é somente Informar, mas também CIVILIZAR, e essa frase marca a característica do personagem. A Pergunta que fica: Um Jornalista é Formador de Opinião ou não? Sim, o jornalista é formador de opinião, já que ele passa para o público as notícias para pensarmos, raciocinarmos e nos informar sobre como estamos caminhando... E aí que começa a questão que sempre discutimos e parece que não tem fim... A LIBERDADE DA IMPRENSA E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO...  Ela é total ou não é? Uma crítica feita abertamente pelo próprio ator Jeff Daniels é a seguinte: 'Acho que não somos bem informados sobre as coisas que ocorrem no mundo’. Estamos sendo informados de qualquer jeito hoje, olhamos um site ou um canal de televisão e parece que olhamos todos. Vamos repetir sempre o mais do mesmo até quando? 

Duas perguntas rápidas para você leitor: Quem são os jornalistas do Brasil que você admira hoje? Quem são os Jornalistas mais conhecidos do Brasil atualmente? Aposto que sua resposta é devido a opiniões dos Jornalistas e não devido a ele somente informar sem opinar... E não querendo manipular respostas, mas veja, os mais conhecidos e com mais fãs são: Datena, Ratinho, Rachel Sheherazade e Marcelo Rezende, por simplesmente fazerem um jornalismo fácil, popular, com opiniões que as pessoas realmente entendem - Discordar ou concordar deles é sua escolha, mas, eles estão em alta... E realmente fazem o papel que um jornalista precisa, trazer debates ao seu leitor, telespectador e para a sociedade de forma geral. E o motivo disso? O povo que assiste, lê e etc... Quer ver personalidade, quer ver um jornalista que seja a voz daqueles que não conseguem audiência e meios para falarem, portanto, todos os jornalistas que ficaram marcados no mundo podem apostar que era devido sua personalidade. E é mais uma das coisas que a série ensina criar uma personalidade própria de cada jornalista somente assim o nível do jornalismo aumenta em sua discussão e debate.

O seriado realmente deveria ser assistido por todos que estão envolvidos em atividades que tem o jornalismo ligado, na minha visão ele é uma aula que muitas universidades e faculdades não conseguem dar para seus alunos. Sentirei saudades de THE NEWSROOM, espero um Remake do seriado quando estiver mais velho e mais experiente.

Por: Daniel Simões

Conheça também esses posts!

1 comentários

  1. A Newsroom amor ... apesar do que ela é manipuladora. O final do episódio dedicado ao congressista Giffords've visto seis vezes, e ainda me move cada vez. Esse episódio é uma declaração de princípios a partir do primeiro minuto ao último. amor ... apesar do que ela é manipuladora. O final do episódio dedicado ao congressista Giffords've visto seis vezes, e ainda me move cada vez.

    ResponderExcluir

Instagram