A Missão de Senar

Oi galerinha, tudo bem?! Bom, breve resumo do que rolou na resenha passada, se você não a leu. Eu estava a fim de variar, por isso, sem...

Oi galerinha, tudo bem?!

Bom, breve resumo do que rolou na resenha passada, se você não a leu. Eu estava a fim de variar, por isso, semana passada a resenha foi especificamente para as mulheres, não que o público masculino não a pudesse ler, mas com certeza o texto seria um pouco enfadonho. Enfim, hoje a resenha vai para o público masculino.

AVISO: SE VOCÊ NÃO LEU O PRIMEIRO LIVRO NÃO LEIA ESTA RESENHA, ELA PODE CONTER SPOILER!


Lembram-se da resenha que fiz sobre primeiro livro da trilogia Crônicas do Mundo Emerso, ‘A Garota da Terra do Vento’?! Agora volto a falar da saga, mas sobre o segundo livro ‘A Missão de Senar’.

Como havia dito desde a primeira resenha, por mais que o gênero seja de romance, eu meio que já o defini como fantasia e aventura. O ambiente em que a história se passa é um ambiente de fantasia com criaturas como elfos, semi-elfos (o caso de Nihal), ninfas, dragões,... Enfim, um mundo de fantasias. De aventura porque a vida dos nossos mocinhos Nihal e Senar, tanto no primeiro quanto neste livro não é fácil não. Se no primeiro livro o enredo ia entrelaçando a história dos amigos, neste eles já começam cada um em um ambiente diferente, ou seja, os capítulos vão alternando-se contando paralelamente o trajeto de cada um.

Neste livro enquanto Nihal continua vivendo de passado, ou melhor, remoendo o passado, e na busca incansável em ser um cavaleiro de dragão, Senar já um membro do conselho dos magos, e enfrentando o preconceito e descrença por parte dos outros conselheiros, por sua idade e inexperiência como mago, tem um grande desafio. Depois de encontrar um mapa, que a principio o levaria a um lugar lendário, o mundo submerso, um mundo debaixo do mar, nosso protagonista é o escolhido para dar cabo a missão, procurar e encontrar este mundo, mas até hoje os que o buscavam nunca haviam voltado. A busca pelo mundo lendário daria uma chance aos revoltosos contra o Tirano de vencer a guerra, já que com a ajuda do exército do mundo submerso as chances de vitória do exército do Mundo Emerso aumentariam muito.

Em ‘A Missão de Senar’ há certas situações como a tempestade enfrentada por Senar e a tripulação do barco que ele havia “contratado” para levá-lo até um ponto próximo a entrada para o mundo lendário. Quando li, automaticamente vi a cena de um filme em minha cabeça, e depois desta memorável descrição da autora, finalmente ouvimos uma espécie de “confissão” de Senar sobre o que realmente sente pela melhor amiga Nihal. Já nossa protagonista, tem além de enfrentar o pai do amigo Laio, e também uma dura verdade sobre o passado de seu amado mestre Ido.

Agora chega, muito spoiler pra pouca resenha! Leiam este livro, comparado ao primeiro foi meu preferido porque venhamos e convenhamos o personagem Senar é muito mais interessante que Nihal, e a ênfase que a autora dá em toda a missão do mago, pra mim foi fantástica.

É isso, espero que gostem do livro como eu!

Mil Beijos!

Dados do livro

Título: A Missão de Senar.

Autor: Licia Troisi.
Editora: Rocco.
Paperback.
Número de páginas: 334.

Por: Fernanda Gonçalves

Conheça também esses posts!

0 comentários

Instagram