Smartphones ficarão mais baratos, mas não tanto quanto gostaríamos.

A presidente Dilma Rousseff assinou o Decreto nº 7.891 que determinou a desoneração de impostos nos smartphones produzidos no Brasil. O g...


A presidente Dilma Rousseff assinou o Decreto nº 7.891 que determinou a desoneração de impostos nos smartphones produzidos no Brasil. O governo promete que, com a medida, os preços cairiam em até 30%, mas parece que não vai chegar nem perto disso.


Questionamos as fabricantes, que nos informaram que a redução não chegará a 30% – será de cerca de 10% – e, ao UOL Tecnologia, a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica) disse que ela será ainda menor – 7%.

Ao menos temos uma certeza: Haverá uma redução. Só que será bem menor do que o governo promete. Humberto Barbato, presidente da Abinee, explicou ao UOL Tecnologia:

"Não sei como o valor cairá 30%, porque os impostos desonerados ficam em 9,25%. Estamos considerando uma redução de 7%, que é um número razoável. Qualquer valor acima disso eu acho um pouco absurdo."

Após questionar as fabricantes, o valor imaginado fica dentro do informado pela Abinee: 9,25% é o que a Nokia calcula como provável queda, e é referente à redução do Pis/Cofins de 9,25% para zero. A finlandesa não garantiu que o preço cairá 9,25%, mas os seus smartphones fabricados no Brasil ficarão sim mais baratos para os consumidores. Já a Motorola parece um pouco mais confiante: Ao Gizmodo Brasil, a empresa disse que prevê redução de 10% a 13% nos seus produtos. Samsung e LG não se pronunciaram sobre uma possível redução.

Em relação aos modelos que ficarão mais baratos, as empresas aguardam a portaria do Ministério das Comunicações que vai definir as especificações técnicas dos aparelhos beneficiados pela desoneração. Parece que não será dessa vez que teremos preços mais justos por smartphones, só nos resta saber quando virá essa redução. 

Por: Gustavo Cardoso

Fonte: UOL Tecnologia e Gizmodo

Conheça também esses posts!

0 comentários

Instagram