Entrevista com A Banda Mais Bonita da Cidade

Essa semana o LazCult fez uma entrevista com A Banda Mais Bonita da Cidade , eles vem de Curitiba. Formada em 2009, se tornando con...


Essa semana o LazCult fez uma entrevista com A Banda Mais Bonita da Cidade, eles vem de Curitiba. Formada em 2009, se tornando conhecida em 2011 pelo estouro do clipe da música de "Oração" no YouTube. As perguntas foram respondidas pelo baterista da banda, Luís BourscheidtConfira!!!

LazCult: De onde veio a ideia de montar a banda? 

Luís Bourscheidt: A banda surgiu em 2009 quando a Uyara (vocalista) teve a idéia de montar um show com músicas de um compositor daqui de Curitiba, o Luiz Felipe Leprevost. A partir desse show, pra dar continuidade ao projeto, a Uyara chamou o Vini e depois o restante da banda... aí começamos a tocar esse repertório de composições de pessoas daqui, incluindo outros compositores. É legal dizer que o projeto começou bem de maneira despretensiosa, mas sempre tivemos muito carinho por essas músicas... sem contar que nos divertimos muito arranjando elas.

LazCult: De onde veio o nome "A Banda Mais Bonita da Cidade"? 

Luís Bourscheidt: O nome foi ideia do Vini. Ele tava lendo um livro de contos do Bukowski. O livro tinha o nome de um dos contos, "A mulher mais linda da cidade"... daí veio a ideia do nome. É uma piada, na verdade.

LazCult: Qual a importância e como surgiu a ideia do clipe da musica "Oração"? 

Luís Bourscheidt: A banda sempre se preocupou em registrar em vídeo e postar na internet tudo o que fazia (aliás ainda nos preocupamos muito com isso, rsrss). Antes de que aconteceu com o vídeo de oração tínhamos feito apenas 5 shows. Mas todos eles foram muito legais, justamente porque, como eu falei antes, temos muito cuidado com o show da banda. Por isso os vídeos e tudo mais. O vídeo de Oração era pra ser mais um registro. Já tocávamos a música nos shows e aquela energia que aparece no vídeo já rolava com a platéia. A ideia surgiu disso, registrar em vídeo a música. Já a concepção do vídeo foi ideia do Vini também, a coisa do plano sequência. Foi tudo muito natural e despretensioso, e mais importante, feito entre amigos. Acho que o sucesso do vídeo se deve muito a esse clima de amizade que ele transparece.




LazCult: Acha positiva ou negativa as paródias que existem da musica "Oração"?


Luís Bourscheidt: Positiva, sem dúvida! Todos nós nos divertimos muito com as paródias. Na época de oração, toda hora pintava uma nova parodia na internet... e a gente se divertia muito porque parecia que não era com a gente, saca? Foi uma coisa do tipo "cara, todo mundo imita o lula, o Pelé, etc.... agora estão imitando a gente, não da pra acreditar....!!!"

LazCult: Qual o momento mais marcante até agora na carreira de vocês? 

Luís Bourscheidt: Tivemos alguns momentos bem marcantes. Acho que os shows que fizemos fora do país podem ser considerados muito marcantes sim, porque ver as pessoas cantando as músicas conosco, pessoas de tão longe, é muito emocionante... tem vários shows aqui no Brasil que também foram muito marcantes, mas eu destacaria 2 deles: no Guairão em Curitiba, lotado (!!!) e o primeiro show depois do vídeo de Oração, em São Paulo, que foi quando caímos na real e conseguimos ter uma dimensão do que estava acontecendo com a gente naquele momento. Ambos foram sensacionais.

LazCult: Como surgiu a ideia da parceria com o China para o compacto "Canções que vão morrer no ar"?

Luís Bourscheidt: Ano passado fizemos um show aqui em Curitiba junto com o China. Nesse show fizemos uma mescla do repertório da banda com as composições dele. Essa experiência foi tão legal que decidimos registrar 2 arranjos de composições do China em Vinil. Daí a ideia do disco.

LazCult: Lançar um trabalhar físico em um momento de massificação do acesso a internet é um grande desafio. De onde e como veio essa decisão?

Luís Bourscheidt: A internet é sem dúvida a grande ferramenta para qualquer coisa hoje. Na música eu acho que também é, por isso sempre disponibilizamos tudo na internet. Mas uma coisa não impede a outra, saca? O disco físico é um plus no trabalho. Sabemos que muita gente baixa as músicas da internet, e isso é ótimo. Mas acontece muito das pessoas quererem ter o disco físico, mesmo depois de baixarem as músicas da internet. É quase um mimo. No disco tem o encarte, as fotos e os materiais gráficos que o mp3 não dispõe e isso eu acho que é um grande diferencial do disco físico. É mais caro, sim, mas a mídia física ainda é muito querida, rsrsrs.

LazCult: Quais são suas influências e inspirações musicais? Vocês se espelham em alguém ou alguma banda?

Luís Bourscheidt: Ouvimos muita coisa e gostamos de muita coisa diferente também. De modo geral costumamos dizer que as principais influências da banda são os próprios compositores que deixam a gente brincar com suas músicas. Então acaba sendo a própria música que vai nos influenciar. Não gostamos muito de rótolos, por isso evitamos falar de influências... mas sim, quase tudo influencia o som da banda, de Tarantino a Fiona Apple...

LazCult: Como foi para vocês gravar um CD independente?

Luís Bourscheidt: Foi massa. Fizemos nosso primeiro disco com o apoio do público que contribuiu por meio de um financiamento coletivo. Conseguir a grana inteira pra gravar e prensar o disco por esse meio foi uma coisa muito especial, eu acho. Sem contar que sempre tivemos esse contato direto com as pessoas, o que facilitou fazer o disco dessa forma. Evidentemente que nenhuma porta foi fechada com isso, mas naquele momento, gravar o disco de maneira independente pareceu a melhor opção, e a experiência foi incrível.


Por: Yasmim Aguiar

Conheça também esses posts!

0 comentários

Instagram